Campos Borges - RS, segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

  • Início
  • Notícias
  • Projeto “Mãos que constroem” à mostra em repartições públicas

Projeto “Mãos que constroem” à mostra em repartições públicas

Através do CRAS de Campos Borges é realizado atividades de artesanato com idosos, orientados pela assistente social Aloisa de Lima Alvarenga e pela psicóloga Cristina Kuhn. Com encontros quinzenais, os grupos participam de várias dinâmicas, brincadeiras, jogos, exercícios de memória, troca de experiências e entretenimento.

Durante este ano, os grupos “Viver se Encontrando” e “Herdeiros da Paz”, nomes titulados pelos próprios participantes, realizaram o projeto chamado“ Mãos que Constroem”. O mesmo, está sendo exposto desde o início do mês de outubro, em comemoração ao Dia do Idoso (01/10). A mostra encontra-se disponível nas repartições públicas. Trabalhos como crochê de barbante, almofadas, tapetes e mantas para sofá colorem a Prefeitura nessa semana.

A prática do artesanato pode oferecer diversos benefícios ao idoso, como a ocupação da mente, entretenimento, prática de raciocínio, promove a integração social, valorização da experiência, distração, lazer e melhoria no aspecto psicológico. Além é claro, de ser uma forma de manter a mente ativa.

 

Nesse projeto, os grupos confeccionaram quadrados de crochê em barbante no tamanho 20×20 cm, em várias cores. O processo de confecção durou meses, e o término dos trabalhos resultou na união e construção de tapetes, mantas e almofadas.

Em conjunto, os grupos concluíram seus trabalhos com sucesso. Exercitando o cérebro, preservando a memória, estimulando a criatividade, expondo suas ideias, melhorando suas aptidões, a percepção, a atenção e o equilíbrio de suas emoções.

Além disto, buscou-se o resgate dos traços do artesanato tradicional. A ajuda mútua e a união dos dois grupos demonstraram isso em seus crochês. A valorização do “fazer à mão” oportunizou exercer um poder de criação único, usando as mãos para construir, criar, experimentar, comunicar e expressar. Assim, o caminho percorrido na etapa de construção quanto ao resultado final, sensibiliza quem cria, valoriza sua obra e a do outro que constrói junto.